20/04/2016 0 Comments AUTHOR: Ilma Vieira Silva CATEGORIES: Palestras, Vida Cristã Tags:, , , ,

A BÊNÇÃO DE SER PAIS, SOGROS E AVÓS

Nós, adultos, devemos agradecer a Deus a bênção de termos ainda nossos pais, ou já os termos tido.

Quem não guarda lembranças de sua infância  quando tinham seus pais e irmãos, convivendo sob o mesmo teto, brincando, rindo, conversando      e contando histórias?

Quantos aprenderam a orar ou a cantar hinos, com suas mães? As nossas lembranças mais precoces nos fazem voltar ao lugar onde fomos criados, à casa em que nascemos, o quintal, as árvores…

São memórias que podemos reviver e que nos trazem alegria e saudade… Nossos pais ocupam lugar de destaque em nossas vidas…  Quantas recordações!…

Será que somos agradecidos a Deus por nossos pais? Ser pai e mãe é uma bênção.  Será que agradecemos a Deus pelo nosso casamento? Através dele nos tornamos pais e mães.

Como é bom lembrar da festa do casamento – os preparativos, flores, longa lista de convidados, Igreja, a cerimônia, músicas escolhidas, a palavra do o pastor, a festa, a lua de mel e a volta à realidade, após o grande sonho…

As primeiras dificuldades financeiras, a compra da casa, o primeiro carro, a gravidez, – que ansiedade!  menino ou menina?

Depois o nascimento – a bênção de ter nos braços aquele ser tão pequenino , tão indefeso e tão carente de cuidados…  Quantos projetos!…

O primeiro dentinho, a primeira ida à  Igreja, o balbucio, a linguagem,  o engatinhar, o andar, o treinamento dos hábitos… Quanta curtição….

Mas será que desfrutamos de verdade a primeira infância dos nossos filhos?

Os pais são abençoados quando gastam tempo com os filhos, pois depois que crescem, ao olhar para eles nós podemos ficar satisfeitos por tê-los criado junto a nós e acompanhado de perto seu crescimento e desenvolvimento  físico, mental, intelectual, emocional e espiritual.

Nós nos lembraremos com saudades das gracinhas que faziam, das perguntas e das experiências que tivemos juntos, e vamos nos alegrar por vê-los fortes e saudáveis.

Já está provado que pais que acompanham o desenvolvimento dos filhos desde pequeninos faz com que eles sejam mais saudáveis física e emocionalmente.

Deus deu esta oportunidade aos pais, mas muitos a rejeitam e depois choram.

É bom lembrar que pais que desenvolvem a amizade,  elos de afetividade e um bom relacionamento com os filhos, nunca sofrerão solidão na velhice.

Que tipo de pai é você?  É fechadão, implicante, mal humorado  ranzinza,   ou é um pai alegre, firme, amoroso, carinhoso, um pai consciente de que sua presença, seu contato com o filho vai ajudá-lo a crescer e desenvolver sua mente, seu corpo, seu caráter e sua vida espiritual?

E você, mãe, que tipo de mãe você é? Vive correndo sem parar a fim de dar conta dos seus afazeres, cuidando da casa, do marido , da  comida, etc. e ainda tem seu trabalho fora de casa, e não tira um tempinho para conversar calmamente com seu filho?

Ser pai e  mãe é uma bênção de Deus.  Ele escolheu a família para fazer  crescer o seu povo.  Escolheu os pais confiando-lhes seus filhos.  Ele nos deu a oportunidade da criação e da formação do caráter desses seres maravilhosos, pelos quais somos responsáveis.

Infelizmente existem muitos pais que consideram os filhos como peso  nas sua vida; que vêm ao mundo para quebrar-lhes a rotina.

Conheci uma mãe que não tinha tempo para seu filho.  Ela trabalhava fora num bom emprego quando ele nasceu.  Viajava a serviço  constantemente, e a idade foi chegando.  Seu trabalho ocupava todo o seu tempo.  A criança, bastante inteligente foi cedo para a escola, mas desde o começo dava problemas.  Um dia, na entrevista com a mãe, foi-lhe perguntado: “Quanto tempo a sra. Gasta com seu filho?”  Ela respondeu que não tinha tempo, que o trabalho exigia muito dela, etc.  “E por que você quis ter um filho, sabendo que não tinha tempo para ele?”   “Ah, porque eu estava ficando velha e queria ser mãe…”   A mãe só queria ter o filho, mas não para  assumir a responsabilidade de criá-lo e nem pensou na bênção que receberia.

Vários estudos comprovam que a criança que dá problemas na escola está pedindo a atenção dos pais e isto é verdade…

Uma moça engravidou antes do casamento, mas posteriormente casou-se   com o pai da criança.  O pai rejeitou o filho desde que se casaram.  Quando nasceu o segundo filho o pai revoltou-se muito mais com o primeiro, brigando e castigando-o severamente.  O menino tinha tanto medo do pai que ao olhar da janela e vendo que o pai estava chegando escondia-se num canto e não falava enquanto o pai estivesse em casa.  Um dia tirou uma nota baixa na escola.  O pai irou-se tanto que  colocou o  menino de joelhos e para que não ficasse marcado com as correiadas e as lambadas do fio de ferro com que batia  no menino, o pai pegou uma cadeira com assento de madeira e quebrou-a na cabeça da criança, para não deixar nenhuma marca no corpo.  Aconselhei  a mãe a denunciar o marido no Juizado  de Menores, por maltratar o filho.  Coloquei-a ao telefone em contato com o Juizado.  Ela marcou a ida e não compareceu – disse que tinha pena do marido ser preso  e que a sogra lhe pedia muito que não o denunciasse!…  Que mãe, e que avó!…  Elas não valorizaram a bênção de ser mãe e avó…

A Bíblia nos diz no  Salmo 127:3 que “os filhos são herança do Senhor e o fruto do ventre o seu galardão”.   Nós os herdamos do Senhor   e como mordomos de Deus temos que cuidar e prestar contas deles a Deus.

Aqueles que consideram que ser pais é uma bênção, criam os filhos na “doutrina e admoestação do Senhor” ensinando-lhes a serem obedientes, amorosos, disciplinados e trabalhadores.

Estudos apontam que pais firmes e que têm autoridade sobre seus filhos são pais amadurecidos emocionalmente e que tratando-os desta maneira estão ajudando-os até no bom ajustamento sexual dos  filhos, quando se casarem, no futuro.  Mais tarde os filhos serão gratos por tê-los ensinado com “firmeza e amor” e não com  “frouxidão”.

Pais  “frouxos” na disciplina são recompensados como beijos e abraços dos filhos naquele momento, mas, mais tarde os filhos  não terão respeito por pais que não souberam impor limites ou não tiveram coragem de dizer-lhes um “não” no momento apropriado.

Pais firmes, mas amorosos, ternos e bondosos gastam tempo conversando com os filhos, ensinando-lhes “o caminho em que devem andar” (Prov. 22:6), ensinando-lhes a expressarem seus sentimentos, de uma forma positiva, para que aprendam a controlar suas emoções  para, no futuro, desenvolverem relacionamentos maduros.

Por isso, os pais também precisam se educar emocionalmente, para que o autocontrole os ajude a desenvolver nos filhos a maturidade tão necessária nos tempos atuais.

Pais presentes, desde a gravidez, atenciosos com a esposa e com os filhos, cooperadores nas atividades domésticas, repartindo com a esposa o cuidado com as crianças, servem de exemplo para os filhos.

O desejo sincero dos pais é que seus filhos sejam felizes, procuram fazer tudo para que isto aconteça. Mas é preciso dizer que os pais não são perfeitos e estão sempre errando.

Pais cristãos dedicam seus filhos a Deus, apresentam-nos diante da Igreja, com o compromisso de criá-los e educá-los de acordo com a vontade de Deus,  mas parece que ao sair da Igreja os pais  se esquecem de fazer a sua parte como pais: entregam os filhos a Deus e Ele que faça o que quiser…

Os pais se esquecem de ensinar-lhes os valores eternos e imutáveis.  A criança não aprende sozinha. Por isso Deus  a colocou num lar como primeira escola e os pais como primeiros professores, para  lhe ensinarem obediência, responsabilidades,  limites, etc.

Deus nos  deu essa missão, e todo mordomo tem que estar preparado para desempenhar seu trabalho o melhor que puder para devolver a Deus seus filhos como lemos no Salmo 144:14: “Para que nossos filhos sejam como plantas bem desenvolvidas na sua mocidade; para que as nossas filhas sejam como pedras de esquina lavradas, como colunas de um palácio”.

A vida é um dom precioso.  Deus nos deu a vida desde Adão.  Ele criou a alma vivente.  A vida é passada dos pais aos filhos, sendo Deus a fonte da vida. Que bênção, sermos canais da vida de Deus para nossos filhos, e que responsabilidade!…  A vida é para ser bem vivida e usada para a glorificação de Deus.  Infelizmente muitos pais estão alheios a isto…

Uma das grandes bênçãos de ser pais é que nós temos um CONSULTOR que a qualquer hora pode-se chegar a Ele – o nosso Pai Celestial – para  pedir-lhe ajuda e orientação na criação dos filhos.

A Bíblia diz que “quem pede recebe e quem busca acha”.  Ele está pronto para atender e dar a devida sabedoria na criação e orientação dos filhos no caminho do Senhor.

Além de falar com o Consultor os pais podem contar com o melhor manual de psicologia, que foi escrito por Ele – A Palavra de Deus.  É um tratado completo. Contém todos os ensinamentos necessários para a criação e a educação das crianças.   O “manual” tem que ser lido e estudado para que os pais sejam professores mais eficientes para porem em prática o que aprenderam.

Mas onde está o tempo para estudar a Bíblia? Onde está o tempo para estar junto, conversar e ensinar às crianças as lições do “manual”?  A Bíblia nos diz que  “há tempo para tudo”  (Ecl. 3:3-8).  É preciso saber ministrar o tempo, colocando  prioridades nos seus  objetivos.

Quais são as prioridades   de sua vida?  O que é mais importante para seus filhos? Pais e mães que trabalham fora o dia todo e colocam em primeiro lugar o conforto, um apartamento luxuoso, carro do ano, chácaras, eletrodomésticos de última geração, porque não querem levar um vida mais humilde, com um apartamento menos luxuoso, sem sofisticação, um carro mais antigo  e deixam para o segundo plano o tempo para conviver com os filhos, perdendo a oportunidade de vê-los crescer, perdendo a época mais linda da vida das crianças, período em que elas deveriam ficar recebendo, de perto, influência positiva para a estruturação de sua personalidade..

É claro que conforto é bom, mas precisamos cuidar das PRIORIDADES… Ser pais é uma bênção, mas não adianta ter o conhecimento teórico do que é  “ser uma bênção”, o que vale é a “experiência” de ser “bênção” para os filhos.Será que nossos filhos acham que valeu a pena terem nascido de nós em nosso lar?   É importante que nossos filhos nos considerem uma bênção para eles.

 

A BÊNÇÃO DE SER SOGRO E SOGRA

 

É verdadeiramente uma bênção quando os pais têm a consciência tranqüila de que criaram seus filhos e os repararam para o casamento.  Suas filhas foram preparadas para serem boas esposas e mães e boas donas de casa?

Seus  filhos estão preparados para assumirem   a família, esposa e filhos?  Espera-se que  quando os filhos se casarem eles devem estar preparados para viverem independentes dos pais.

Os pais se sentem felizes quando os filhos fazem uma boa escolha do par conjugal e iniciam uma nova família.

Será que todos os sogros  são uma bênção? É só conversar com os genros e as noras… Parece que o problema entre noras e sogras e genros sempre existiu.   Em Gênesis 26:34 e 35 vemos o primeiro conflito entre noras e sogras: “Ora, sendo Esaú da idade de 40 anos, tomou por mulher a Judite, filha de Beeri, heteu, e a Basemate, filha de Elom, heteu.  E estas foram para Isaque e Rebeca uma amargura de espírito”.

Parece que o problema só não existiu no Jardim do Éden , porque Eva não tinha mãe…(Feliz foi Adão que não teve sogra…)

Porque existem tantos conflitos entre sogro, sogra, genro e noras? Muitas variáveis influenciam no surgimento dos  conflitos´:

Em primeiro lugar, os pais se preparam para muita coisa na vida, menos para se “desligar”  dos filhos quando se casam.   Em Gênesis 2:24 lemos: “Portanto deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher…”

Dificuldade para deixar pai e mãe não é só problema  por parte dos filhos, os pais também encontram dificuldades  para se desligarem dos filhos.  Às vezes o filho é superprotegido  pelos pais e não quer sair da barra da saia da mãe, por medo ou despreparo para assumir responsabilidades.  Ele não está “preparado” para  “sair” e se “unir” a alguém, que não seja sua mãe,  porque não foi preparado para isso.

Muitas vezes as famílias são tão fechadas que dificultam o relacionamento social dos filhos com outros grupos, diminuindo o círculo de amizades,  impossibilitando aos filhos formar elos afetivos fora da família.

Às vezes  os pais não preparam devidamente seus filhos e não confiam na sua capacidade administrativa e ficam inseguros  se seu filho vai se sair bem  em todas as áreas da vida, e preocupam-se  e vivem interferindo na vida do casal.

Acontece, também, que a mãe não considera sua nora bastante capaz de satisfazer as necessidades de seu “filhinho” querido como ela (mãe) fazia.

Outras vezes é a interferência das cunhadas na vida do casal, “bisbilhotando” e contando em casa o que aconteceu na casa do irmão recém-casado, causando preocupação nos pais.  Os sogros tomam partido nos conflitos entre o casal e às vezes interferem de maneira errada, dando palpites que só irão piorar a situação.

Também pode ser que o temperamento da nora não admite que ninguém interfira na sua casa, não sabendo relevar as faltas dos sogros.

O ciúme também pode ser provocado quando filho deixar de ir à casa dos pais e sempre acompanha a esposa para a casa da mãe dela.

Existem muito mais empecilhos à harmonia do novo lar quando os sogros não sabem que eles deverão ser uma bênção na vida dos filhos. Pais preparados para a “a saída” dos filhos serão  bênçãos  como sogros .

A sogra tem que compreender  que é muito natural que seu filho acompanhe  mais  a nora do que ela a ele.   Sogros que são bênçãos  não devem ter ciúmes dos filhos com a família da nora, devem compreender e ajudar.

Sogros que são  bênção  não competem o amor do filho(a) com os pais da nora…   Para haver um bom relacionamento entre o jovem casal e seus pais é necessário esforço  e boa vontade de ambas as partes.

Quando os sogros consideram  de coração o escolhido (a) de seu filho (a) como membro da família, e o tratam com carinho e respeito, as coisas podem melhorar.  ACEITAÇÃO  é o que  precisa  existir de ambas as partes.

Graças a Deus que existem muitos sogros que são bênçãos  e se tornam verdadeiros pais para o jovem casal, existindo muito bom entendimento entre eles.   Existem  também muitos genros e noras que são bênçãos para os sogros.

Os sogros têm que compreender que o que está acontecendo com eles agora já aconteceu quando eles se casaram. Lembrando sempre que não deverá repetir com seus filhos o que foi  ruim, na sua época, e fazer pelo seu genro e sua nora aquilo que você gostaria que tivessem feito por você.

EMPATIA – ponha-se no lugar de seu genro ou de sua nora.  Os sogros podem se tornar uma bênção  se tomarem como exemplo o sogro de Moisés – conselheiro, amigo, respeitado, querido, compreensivo (cuidou de Zipora e seus dois netos enquanto Moisés foi para o Egito retirar o povo de Israel da escravidão).

As  sogras se tornarão uma  bênção  se  espelharem em Noemi. Por que Rute não quis separar-se dela?  A família  não foi contra o casamento  dos filhos com moabitas.  Ficando viúva e sem os dois filhos aconselhou às noras que se casassem outra vez.  Ela desejava o melhor para suas noras. Não impôs sua vontade quando Órfã quis voltar para sua terra. Aceitou que Rute a acompanhasse e aconselhou-a quanto à procura de trabalho e orientou-a  para casar-se com Boaz.

Rute também foi uma bênção na  vida de Noemi.  Todas as noras podem ser bênçãos se tomarem  Rute como exemplo.

Sogros não devem impor sua presença na casa da nora.  Não interferir na arrumação, comida,  educação dos filhos, roupas, etc..  A casa é da nora  você será apenas uma visita…   Se tiver que morar com a nora não tome partido . Fique no seu canto e procure ajudar no que for possível, mas mantenha-se no seu lugar.   Ajude no cuidado com as crianças quando solicitada. Ajude nas tarefas de casa, se possível.  Os sogros serão uma bênção se souberem se colocar no seu lugar.

 

A BÊNÇÃO DE SER AVÓS

 

Agora vocês já passaram de pais a sogros e agora  já são avós. Que bênção!   Se os pais se alegram quando lhes nascem os filhos, têm mais alegria quando recebem seus netinhos.

Agora vocês têm nenês para curtir e não para ter trabalho com eles.  Isto não quer dizer que não vão ajudar com os netos, sim, vocês podem ajudar no que forem solicitados.  Mas a responsabilidade de criá-los e educá-los é dos pais.   Se forem solicitados dêem  conselhos, mas não esperem que os novos pais  aceitem tudo o que vocês dizem.  Os velhos apesar da experiência já estão “ultrapassados” – eles não dizem, mas pensam…

Interessante que os “palpites” da avó materna são sempre aceitos, mas os da avó paterna, nem sempre!… Mas se você quiser ser uma bênção tem que fechar os olhos e ouvidos para muita coisa e ACEITAR  o novo par do seu filho (a) da maneira como são.  É difícil no começo, mas depois vocês acabam acostumando e aprendem a aceitar…

Os avós estão recebendo a bênção  de ver a vida renascer dos seus filhos, agora com a vantagem de só curti-los.  Dizem que os avós estragam os netos, em muitos casos isto é verdade, sim.  Avós não gostam de ver seus netos sendo castigados  mas os pais estão no seu direito de educá-los e discipliná-los.  Eles terão seu jeito próprio de ensinar.

Existem avós que são bênção de verdade.  Lemos em II Tim. 1:5 o exemplo da avó e da mãe de Timóteo, por causa de sua fé não fingida.

Avós devem ser respeitados pelos netos.  Respeitados pelo  que   foram e pelo que são agora.  Filhos, genros, noras e netos devem respeito aos avós.  Tratá-los com paciência e amor quando estiverem inválidos, incapazes de ajudar em alguma coisa.  Lemos em Prov. 23:22: “Ouve a teu pai que te gerou e não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer”.

Avós já viveram sua vida. Passaram problemas, adquiriram experiências que ninguém mais passará.  Aqueles que estão vindo depois deles, será que atingirão a sua longevidade?

Avós são bênçãos e vivem  de recordações.  São eles que fazem seus filhos e netos reviverem a história da família, para isso é preciso que preparem a história que passarão aos netos, colecionando fotografias, convites de casamento  e formaturas, fitas de vídeo, recortes de jornais, certificados de batismos, e… não esqueçam de anotar as coisas engraçadas que seus filhos disseram quando eram pequenos, para que você possa passá-las para os seus netos…

Todos devem preparar-se para  serem pais, sogros e avós. Precisam preparar-se psicologicamente para desligar-se dos filhos.  Tentem lembrar e escrever todas as situações engraçadas que observaram nos seus filhos  para que vocês tenham um acervo de recordações para passar aos seus netos. Vai servir para reviver a vida. Os velhos vivem de recordações, porque recordar é viver…

Could not resolve host: urls.api.twitter.com