21/06/2017 0 Comments AUTHOR: Ilma Vieira Silva CATEGORIES: Vida Cristã Tags:

A SERPENTE E O VAGALUME

A serpente símbolo da vaidade,

Desperta sua ira incontida, numa pequena luminosidade.

Cheia de inveja descomunal, é o que se presume,

Vendo uma noite, escura, clareada,

Por pequenos fachos iluminada, na beleza dos vôos ciclópicos de um vaga-lume.

 

Na desproporção de valores, o vaga-lume indaga a serpente:

– “Irmã, qual a razão de tanto desdém, que vejo de repente.

No seu semblante de ódio e traição?

Quer me destruir, me arruinar, me matar.

Se nada te fiz para lhe chatear ou te incomodar.

Toda sua mágoa contra mim é sem razão.

 

Não faço parte da sua cadeia alimentar.

Não falamos o mesmo idioma, nem mesmo sei sibilar.

Somos de outro espécime, só o destino me conduz.

Nada tenho de mal, ou perverso.

O meu prazer é iluminar o universo.

Espargindo sobre ele a minha pequena luz”.

 

Diante da afirmação incisiva,

Só resta à irmã serpente responder, decisiva:

-“Em toda noite escura, em todo logradouro.

Não aguento ver o teu brilho,

A tua claridade me leva ao delírio.

O que mais me incomoda, é a tua luz duradoura”.

“Você é a luz do mundo, o brilho da tua luz está incomodando alguém”?

Israel  Henriques Vieira – 09/2012

 

 

Could not resolve: urls.api.twitter.com (Domain name not found)